Avaliação de riscos industriais - imagem ilustrativa

Qual a importância da avaliação de riscos industriais e como ela deve ser feita?

Realizar a avaliação de riscos industriais é a melhor maneira de garantir a segurança e o sucesso operacional na empresa. De acordo com a referência da ISO 31000, que é a norma de gestão de risco desenvolvida pela International Organization for Standardization, o melhor caminho envolve conhecer a fundo os problemas do negócio antes de tudo.

A partir disso, fica muito mais simples colocar os riscos em pauta e lidar com soluções personalizadas conforme o perfil dos colaboradores e os objetivos do trabalho. O uso das regras como ponto direcionador também faz muita diferença no momento de identificar as prioridades da atuação e criar uma imagem positiva no segmento.

Gestão da qualidade industrial

Quer saber mais? Vamos mostrar como fazer a avaliação de riscos industriais. Acompanhe!

Compreenda a importância da avaliação de riscos industriais

O mais importante na hora de avaliar os riscos industriais é abordar de forma abrangente questões que envolvem segurança dos projetos industriais, saúde e meio ambiente. Dentro desse contexto, a ISO 31000 é a norma internacional de gestão de riscos industriais. Ela fornece diretrizes e objetivos para que as organizações possam fazer suas análises com um ponto de referência.

Uma grande vantagem é que as recomendações se encaixam em vários tipos de negócios, pois se aplica nas etapas de planejamento, processos de comunicação e operações de gestão. Mesmo que a empresa já faça uma espécie de gestão de riscos conforme sua política interna, é indispensável seguir a ISO 31000 devido a objetividade das normas conforme a necessidade de garantir a segurança no trabalho.

Além disso, também é importante destacar que as técnicas internacionais foram desenvolvidas para que os gestores sejam capazes de melhorar a eficiência operacional e aumentar a produtividade na empresa. Ao estabelecer uma base sólida, as decisões estratégias passam a ser abrangentes conforme o papel na empresa diante do mercado, dos clientes, dos colaboradores e da sociedade como um todo.

Determine os níveis de riscos

Para que o processo de implementar as regras da ISO 3000 seja eficiente, é preciso colocar em prática algumas medidas. A principal delas é determinar os níveis de riscos. Vale ressaltar aqueles que giram em torno de imprevistos e incertezas em todas as áreas da empresa e afetam diretamente o processo industrial.

O gerenciamento e a classificação desses níveis consiste na identificação do que representa ameaças conforme o funcionamento operacional e o funcionamento do mercado em uma visão mais abrangente. Feito isso, o próximo passo é definir o quanto essas ameaças comprometem o funcionamento do negócio ou sua imagem.

Então, seja em uma atividade específica ou em falhas gerais, existem algumas situações que devem passar por um mapeamento estratégico. Dentro desse processo, ao fazer as análises, algumas exigências precisam ser cumpridas e os riscos devidamente mensurados e acompanhados de perto.

Conheça, abaixo, as principais etapas de gerenciamento de risco:

  • diagnóstico de riscos;
  • gestão dos processos de riscos;
  • controle de maneira estática de qualidade;
  • ações que garantam qualidade;
  • avaliação independente.

Quando o objetivo gira em torno de se preparar adequadamente diante dos riscos industriais, o diagnósticos dos potenciais problemas e o planejamento de ações de qualidade se tornam passos obrigatórios.

Isso porque na hora de colocar em prática as medidas operacionais focadas em segurança, são os resultados dessas avaliações que vão determinar a construção das soluções de forma bastante personalizada. Coloque na ponta do lápis os riscos para os produtos, para os ativos, para o meio ambiente, para os clientes e para a força de trabalho representada pelos colaboradores.

Um bom exemplo disso envolve considerar o impacto e a probabilidade desses riscos. De nada adianta, na prática, criar todo um esquema de segurança reforçado por uma coisa que dificilmente tem relação com o funcionamento de sua indústria. Por exemplo, uma viagem de avião tem um alto impacto quando algo dá errado por conta de uma queda. Entretanto, o risco de acontecer um acidente desse tipo é considerado baixo.

Leve essas considerações para o seu operacional e faça uma avaliação detalhada com o olhar experiente e com foco nas consequências causadas conforme os riscos apresentados. Compare com outros cases do mercado, porém, sem deixar de lado as características únicas do negócio que evidenciam desafios muito importantes e particulares.

Considere as prioridades de atuação

Qual é o intuito da sua empresa no mercado? Claro que além de aumentar os lucros, existe o desejo de ser visto positivamente e se tornar uma referência na área de atuação, certo? Pois bem, a avaliação de riscos industriais tem tudo a ver com esse desejo. Dessa forma, é essencial considerar as prioridades de atuação.

Se o foco do produto oferecido envolve a necessidade de um processo operacional sustentável, por exemplo, é preciso criar ações internas que tornem essa medida realidade. Isso inclui a matéria-prima para produção, a emissão de poluentes na indústria, as embalagens, as formas de entrega e outros pontos adicionais.

O principal, em uma situação como essa, é tomar atitudes que sejam coerentes. Com isso, a meta de estabelecer a segurança na empresa se transforma em uma das prioridades a partir de medidas eficientes que vão desde o posicionamento da empresa até o cumprimento desses valores no relacionamento com os colaboradores.

Estabeleça medidas preventivas ou corretivas

A segurança do trabalho e a saúde ocupacional são os pilares de um bom planejamento focado em avaliação de riscos. Após a gestão avaliar a medida em relação aos riscos detectados de maneira minuciosa, invista, especialmente na segurança das operações.

Um problema de acidente interno, por exemplo, pode fazer com que a empresa responda a processos, afaste clientes e ainda gera desconfiança de outros colaboradores. Por conta disso, priorizar o bem-estar de todos os envolvidos e aposte em equipamentos adequados e treinamento direcionado.

Esse é, inclusive, um ponto de extrema atenção e que tem total relação com a saúde ocupacional. Funcionários bem treinados conforme o equipamento que manuseiam estão entre as principais medidas preventivas que garantem o sucesso da produção. A correção, no entanto, deve ser inserida em situações listadas como emergência no operacional ao levar em consideração o feedback dos profissionais, histórico, auditorias, manutenções e as normas da ISO 31000.

Verifique a funcionalidade das medidas

Muitos gestores acreditam que basta implementar soluções que minimizam os riscos e deixar as coisas simplesmente acontecerem de maneira dinâmica. Nada disso! Ao criar um plano de ação e correção, o mais indicado é acompanhar cada resultado conforme as coisas são colocadas em prática, já que a dinâmica na indústria muda rapidamente. Logo, nem sempre a primeira solução identificada vai resolver a raiz do problema.

A avaliação de riscos industriais é um fator indispensável para as empresas que desejam crescer no segmento, ter funcionários comprometidos e ainda aumentar os lucros. Tudo isso com foco em solucionar problemas e criar ações preventivas capazes de tornar a produção mais eficiente e segura em diversas vertentes.

Gostou das informações do artigo? Então assine nossa newsletter e fique por dentro de outros artigos relacionados ao assunto!

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 5 / 5. Nº de avaliações: 1

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.