depreciação de maquinas

Como acontece a depreciação de máquinas industriais?

Para que uma indústria seja bem-sucedida, é natural que os seus gestores precisem levar em consideração uma série de fatores em suas estratégias e decisões. Dentre os principais, está a depreciação de máquinas industriais.

Quando pensamos na importância das máquinas para a atividade de uma indústria e nos riscos de operar equipamentos desatualizados, é fácil perceber por que monitorar essa informação é tão importante.

A grande questão é: como avaliar de forma correta a vida útil de máquinas e equipamentos industriais? Leia o artigo e descubra!

Entenda a depreciação de máquinas industriais

Itens e objetos perdem o valor naturalmente, o que pode acontecer tanto pelo seu uso, que tende a desgastar seus componentes, quanto pela ação de outros fatores e até pelo avanço da tecnologia, que pode tornar o objeto em questão obsoleto. Os equipamentos e dispositivos de uma indústria não estão isentos dessa regra.

Uma vez que o maquinário de uma indústria tende a ser usado por longos períodos e em condições que, muitas vezes, são severas, não é difícil chegar à conclusão de que sua depreciação precisa ser monitorada de perto.

Nesse contexto, é interessante ressaltar, ainda, a velocidade com que a tecnologia tem avançado e desenvolvido novas ferramentas empresariais, que podem deixar em desvantagem negócios que fazem uso de equipamentos menos atualizados. Assim, a aquisição de novos equipamentos ou pelo menos a atualização dos equipamentos atuais é indispensável.

Importância de entender a depreciação

Compreender e mensurar a depreciação de máquinas industriais é importante por vários motivos. Podemos dizer, por exemplo, que sem entender o nível de depreciação de um equipamento, a tarefa de planejar os serviços de manutenção e até de definir momento de adquirir uma máquina nova fica muito mais difícil.

Essa dificuldade pode levar a empresa a sofrer prejuízos ocasionados a fatores como:

  • a perda de qualidade dos itens produzidos pela máquina;
  • o aumento no tempo necessário para fabricação de itens;
  • o aumento da necessidade de reparos e de trocas de peças.

Além disso, é importante levar em consideração que a depreciação de máquinas industriais é um dos pontos que deve ser apontado na declaração de impostos. Desse modo, essa informação é de suma importância para o setor fiscal da companhia.

Como calcular a depreciação de máquinas industriais?

Por fim, é interessante ressaltar que existem muitos métodos para se calcular a depreciação das máquinas de uma companhia, cada um deles alinhado a uma demanda específica. Entre os métodos mais aplicados, veja quais podemos citar!

Método de cálculo de depreciação de linha reta

Esse método, muito adotado por profissionais especializados em orçamento, visa mensurar a depreciação de diversos tipos de máquinas e de equipamentos industriais. Para alcançar esse objetivo, o método em questão subtrai o valor residual (de depreciação) do valor novo (preço de compra do produto. O resultado apurado deve ser dividido pelos anos de vida útil da máquina em questão.

Podemos usar a seguinte fórmula:

Depreciação anual da máquina industrial = (Preço de compra – Valor residual) / Vida útil da máquina em anos

Método de cálculo de depreciação acelerado

Esta metodologia considera que um equipamento costuma se depreciar com mais velocidade em seus primeiros anos de uso. Para lidar com esse fator, o método exige que os anos de vida útil da máquina sejam somados. Cada ano então passa ser uma fração decrescente do valor total apurado pela soma.

Digamos que uma máquina tenha 10 anos de vida útil. Nesse caso, vamos ter o seguinte resultado:

1+2+3+4+5+6+7+8+9+10 = 55

Portanto, a fórmula em questão seria:

Depreciação anual da máquina indústria = (Preço de compra – Valor residual) Números de vida útil da máquina industrial em ordem decrescente / Vida útil da máquina em anos

Para demonstrar de forma mais clara o conceito, vamos usar como exemplo uma máquina que custou R$ 200.000, tem 10% de valor residual e uma vida útil de 10 anos.

Depreciação anual da máquina indústria = (200.000 – 20.000) 10 / 55 : 10

Por fim, é interessante ressaltar que a tecnologia é uma grande aliada na mensuração da depreciação de equipamentos industriais. O monitoramento de ativos, por exemplo, tende a tornar a tarefa muito mais simples. Outro método eficiente é adquirir apenas máquinas e peças de parceiros confiáveis, conhecidos por fornecer produtos duráveis e de alta qualidade.

Minimizar os efeitos da depreciação

Apesar de ser um efeito inevitável, a empresa que possui um planejamento detalhado em relação ao uso das máquinas consegue minimizar os efeitos da depreciação. Com isso, torna-se mais simples evitar surpresas desagradáveis e falhas gerais no sistema que impeçam o andamento normal da produção. Veja a seguir algumas sugestões!

Lubrificantes

Usar os lubrificantes adequados pode até parecer um cuidado simples, mas que traz grandes efeitos positivos em longo prazo. Quando esse processo é realizado no intervalo de tempo certo, o andamento do trabalho caminha de maneira tranquila. Então, inclua sempre a lubrificação na manutenção periódica para que tudo funcione com segurança.

Manutenção preditiva

Tentar resolver um problema depois que a máquina já parou de funcionar custa muito mais caro, é demorado e ainda tem menos chances de sucesso. Dessa maneira, a manutenção preditiva se torna sua principal aliada contra a depreciação na indústria e os prejuízos que isso causa.

Esse procedimento, na prática, acontece para evitar o desgaste das máquinas e seus componentes a partir da possibilidade de antecipar as falhas dos equipamentos.

Medidor de lubrificação

Os medidores de lubrificação têm relação direta com as manutenções preditivas. Esses equipamentos reúnem eficiência e modernidade na mesma medida. Na prática, a avaliação de vibração das máquinas é capaz de identificar anormalidades com bastante antecedência e facilitar as ações corretivas.

Tecnologia

Quando se trata de reduzir custos e lidar com problemas de depreciação, o uso da tecnologia deve ser prioridade na indústria. Hoje em dia, graças aos recursos desenvolvidos para solucionar falhas, é possível manter a qualidade até quando problemas acontecem. Ao conseguir desenvolver uma produção inteligente, que mostre as informações com base nos objetivos da empresa, os processos do dia a dia se encaixam conforme a construção das soluções exigidas.

Para quem não está por dentro do assunto, as estratégias segmentadas de automação industrial estão alinhadas com a tecnologia para tomar decisões conscientes, utilizar os recursos com foco em entregar bons resultados, destacar-se da concorrência e implementar medidas que tornem a depreciação menos impactante.

Ao contar com esse estilo moderno de trabalho nas operações, os gestores conseguem, por exemplo, se adaptar a novas necessidades conforme os desejos dos clientes e garantir a competitividade. Sem contar que isso permite prever o volume consumido de materiais e fazer orçamentos de gastos com os custos exatos para garantir a operação com qualidade.

Mas vale lembrar que a adoção da tecnologia deve ser muito bem pensada quando se trata de reduzir os impactos da depreciação. É preciso identificar o que realmente se transforma em investimento e vai ajudar nos principais pontos que são considerados desafios.

Pronto! Agora você já sabe como acontece a depreciação de máquinas industriais e as melhores soluções para amenizá-la. Para isso, é preciso contar com uma empresa especialista que é referência no assunto, como a Acoplast Brasil, que oferece diversas soluções no mercado de automação industrial.

Gostou das informações do texto? Então entre em contato conosco e conheça nossos serviços!

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 5 / 5. Nº de avaliações: 3

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.