Quais os desafios do gestor industrial

Indústria 4.0: conheça os 7 maiores desafios do gestor industrial

Os desafios do gestor industrial são inúmeros em uma planta fabril e no contexto da Indústria 4.0 são ainda mais complexos. Não é fácil encontrar mão de obra adequada e nem sempre os recursos necessários para modernização estão disponíveis. Ainda assim, é possível fazer um trabalho de excelência, desde que o time esteja coeso e concentrado em superar todas as adversidades.

Este artigo fala exatamente a respeito desse tema. Para isso, traz reflexões acerca do que é a indústria 4.0. Em momento posterior, elenca os sete maiores desafios enfrentados pelos gestores da área, indicando a dificuldade enfrentada e os meios para poder superá-las. Ao final do texto, você receberá uma dica especial de uma grande parceria de negócios.

Pronto para a leitura? Então, prossiga!

Qual é o significado do termo indústria 4.0?

Se antes a definição de indústria 4.0 era tomada como uma possibilidade, hoje já é tida como necessidade. Não há mais como se desviar dessa nova realidade e as fábricas atuais precisarão se modernizar. A automação é o carro-chefe desse movimento, sendo seguido de perto pela internet das coisas.

Um ponto muito importante a frisar é que a adaptação de uma fábrica aos novos padrões tecnológicos causam profundos benefícios. Toda a cadeia produtiva agradece, pois as otimizações provenientes da maior eficiência geram ganho de produtividade a todos.

Indústria 4.0 - Acoplast Brasil

Quais são os 7 maiores desafios do gestor industrial na indústria 4.0?

Entre todos os desafios enfrentados por um gestor industrial em relação à indústria 4.0, quatro deles têm especial destaque. Acompanhe a seguir uma descrição mais detalhada dos obstáculos existentes.

1. Atrair e reter talentos

Um problema enfrentado não só pela indústria, mas também por outros setores, é a vacância de postos de trabalho ocasionada pela aposentadoria de pessoas da geração baby boomers. Não fosse o momento atual vivido pelas fábricas, isso não seria um empecilho grande. No entanto, a revolução tecnológica em curso exige cada vez mais que os profissionais tenham habilidades voltadas à inovação científica.

Pela escassez desse tipo de mão de obra no mercado, acabam ocorrendo contratações indevidas. Como é de se esperar, muitas vezes a expectativa não é correspondida e o índice de rotatividade cresce bastante. Isso gera prejuízos, tanto porque demitir é caro quanto pelos prejuízos provenientes das perdas de produtividade, já que sempre existe uma curva de aprendizado em relação às novas tarefas.

Uma forma de contornar esse problema é contratando profissionais com perfil mais adequado, ainda que não detenham o conhecimento técnico. Este segundo ponto pode ser trabalhado com treinamentos. Para os cargos de alta chefia, podem ser abertos processos seletivos internos, com posterior recrutamento.

2. Aumentar a eficiência operacional

Gerenciar de modo satisfatória a eficiência operacional de uma fábrica significa, sobretudo, manter a planta fabril em pleno funcionamento durante o maior tempo possível. Para que isso aconteça, o tempo de inatividade deve ser o menor possível, e isso está intimamente ligado ao tempo de máquina parada. Como é sabido, as atividades são paralisadas em grande parte pelo setor de manutenção.

Sendo assim, aumentar a eficiência operacional quer dizer gerenciar o departamento de manutenção com a máxima produtividade. Para isso, devem ser planejadas e cumpridas com rigor ações que equilibrem as intervenções preventivas, corretivas e preditivas. Quanto mais alinhados estiverem esses pontos, mais a planta industrial será capaz de produzir.

Tudo isso demanda forte habilidade gerencial do gestor responsável, pois é preciso conhecer a fundo as instalações que se tem sob cuidado. Também é preciso conhecer as várias especificações técnicas disponíveis, além do estoque de peças sobressalentes. É necessário traduzir essas informações em planos de manutenção eficazes e colocá-los em prática sob forte supervisão.

3. Reduzir custos operacionais

Produzir mais rápido, melhor e com menos custos. A pressão por reduzir os custos operacionais é constante em todos os segmentos.

Reduzir custos, no entanto, não é uma tarefa fácil. Existem alguns processos que não podem ser pausados ou alterados, pois impactam diretamente na qualidade do produto, o que é também um desafio para o gestor. Por outro lado, outras atividades podem resultar em desperdício ou não geram valor.

Veja alguns passos importantes para a redução de custos operacionais:

  • mapeie os processos
  • entenda a mão de obra da sua indústria
  • negocie com fornecedores
  • utilize a metodologia Lean
  • utilize a tecnologia
  • elabore um planejamento de melhoria contínua
  • estabeleça metas claras

Identificar e eliminar as causas de perdas na produção são atitudes essenciais para a redução de custos. Descubra aqui as principais causas de perdas na produção e como evitá-las.

4. Modernizar a produção

Esse pode ser um assunto um tanto quanto delicado para tratar no ambiente fabril, mas é necessário adotar essa orientação. O próprio conceito de indústria 4.0 tem a prerrogativa da modernização embutida. No entanto, toda fábrica tem lá suas restrições orçamentárias e deve ser uma habilidade do gestor incorporar a necessidade de investimentos no próprio planejamento fabril.

Sendo assim, um caminho para convencer a gerência sobre determinado investimento deve ser a consideração acerca do que é importante e aquilo que é urgente. Muitos defeitos em uma linha de produção podem indicar necessidade iminente de intervenção, mas se o gestor tiver um olhar crítico, pode juntar os dois argumentos em um único apenas.

Imagine que o corte manual de alguma peça da linha de produção apresenta muitos erros, com vários produtos sendo reprovados pelo controle de qualidade. Isso implica em prejuízos e a situação precisa ser sanada. Investir na automação desse processo pode acabar com o problema e trazer muito ganho, pois as máquinas têm uma eficiência maior e reduzem o retrabalho. Ainda que o investimento inicial seja alto, os benefícios compensam a manobra.

5. Mensuração de demandas

Não é difícil chegar a conclusão de que o sucesso de uma companhia está diretamente relacionado ao modo como sua liderança utiliza os seus recursos. Afinal — sem uma administração eficiente — dificilmente um negócio será capaz de operar em seu pleno potencial. Em um mercado altamente competitivo, esse fator é ainda mais relevante.

Nesse cenário, os gestores precisam conhecer a fundo as demandas de seus clientes para que as soluções, produzidas pela indústria, de fato estejam alinhadas a elas.

É importante ressaltar, porém, que as demandas dos consumidores atualmente vão muito além da qualidade de produtos e serviços. Hoje em dia, os clientes dão cada vez mais importância a fatores como sustentabilidade e responsabilidade social.

Isso significa que — mesmo produzindo itens de alta qualidade — uma companhia pode ser deixada de lado se suas atitudes não estiverem de acordo com essa nova realidade do mercado.

Levando esses fatos em consideração, é fácil entender porque a mensuração de demandas é um dos principais desafios do gestor industrial na indústria 4.0.

6. Ociosidade ou sobrecarga de máquinas e equipamentos industriais

Quando o maquinário industrial opera abaixo de sua capacidade, a indústria em questão não é capaz de usar plenamente o seu potencial, o que a leva a se tornar menos produtiva do que deveria ser.

A questão é que, quando os equipamentos industriais operam acima dos limites recomendados, seus componentes começam a sofrer com uma pressão a qual não foram projetados para suportar, o que tende a antecipar a depreciação da máquina em questão.

Por esse motivo, os gestores precisam projetar a operação da indústria de maneira que a máquina opere em suas condições ideais. Um desafio que exige o suporte e o acompanhamento de um time de manutenção altamente capacitado.

Nesse contexto, tecnologias como o monitoramento de ativos também são extremamente úteis.

7. Planejamento dos investimentos em tecnologia

Dentre todos os desafios do gestor industrial, é provável que o planejamento dos investimentos em tecnologia seja um dos mais complexos. Isso ocorre porque, embora a tecnologia de fato apresente diversas soluções úteis — como a inteligência artificial — sua evolução rápida exige que atualizações sejam feitas em períodos cada vez mais curtos. O que não é uma tarefa simples.

Além disso, uma vez que cada companhia tem suas características próprias, o investimento em tecnologia deve levar em consideração as demandas da empresa. Sem esse cuidado, a solução adquirida pode não entregar os resultados esperados.

Para lidar com essa situação, o gestor deve contar com especialistas em TI e com parceiros especializados e de confiança.

Como lidar com os desafios do gestor industrial na indústria 4.0?

Quando pensamos nos desafios do gestor industrial em relação a indústria 4.0, é fácil perceber que não existe uma solução mágica e que a gestão precisa elaborar estratégias inteligentes e usar a tecnologia a seu favor.

Tarefas essas que exigem o investimento na análise de dados. Afinal, sem informações confiáveis, a elaboração de planos eficientes se torna inviável. Além disso, os dados são necessários para que a indústria compreendam tanto as demandas do mercado quanto a sua realidade, o que é indispensável para que sua liderança oriente de maneira eficiente os investimentos em tecnologia.

Os desafios do gestor industrial em relação às novas demandas da indústria 4.0 são muitos. No entanto, com o afinco necessário se torna plenamente capaz de haver superação. Até porque algumas das dificuldades se dão em um ambiente macro, como o apagão de mão de obra que afeta a todos do setor. Contar com o auxílio de um parceiro de negócios experiente no ramo faz toda a diferença. É por isso que a Acoplast Brasil se coloca à disposição de gestores interessados em performar melhor no ambiente de trabalho. Conte conosco!

Nesse período, a crise e as medidas de isolamento acarretaram se uniram aos desafios do gestor industrial. Leia este artigo e confira alguns dos aprendizados que a pandemia está deixando para as indústrias!

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 5 / 5. Nº de avaliações: 2

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.