gestão industrial

Os principais erros cometidos na gestão industrial e como solucioná-los

Quando analisamos a gestão industrial, é comum observarmos como os fatores externos influenciam o seu desempenho. Economia, legislações etc. impactam o dia a dia de qualquer indústria.

Contudo, aspectos internos também podem alterar os resultados de um negócio, protegendo-o de situações complicadas. O problema é que nem sempre o empresário se dá conta disso.

O foco constante nos resultados relacionados ao caixa da empresa pode fazer com que a marca ignore sinais de alerta importantes — e é sobre isso que queremos falar hoje neste artigo. Vamos entender mais sobre a gestão industrial?

Contratação inadequada

O departamento pessoal de uma empresa precisa ter como meta contratar profissionais adequados para o posto de trabalho. Nem sempre a pessoa adequada é a mais qualificada.

Dependendo da função desempenhada, qualidades como boa interação com os colegas, atenção a detalhes etc. podem ser mais úteis do que um curso de capacitação.

Quando o processo de contratação é feito de maneira incorreta, a gestão industrial pode ser impactada negativamente de diversas maneiras. Uma delas é o aumento do retrabalho — o que gera atrasos, desperdício de material etc.

O segundo aspecto negativo é a rotatividade elevada de colaboradores. Além de gerar um ônus para o negócio, uma vez que o processo de contratação tem um custo, uma fábrica com grande rotatividade de profissionais pode ser vista como um lugar ruim para trabalhar — dificultando, ainda mais, a contratação de mão de obra adequada.

Sendo assim, a contratação de pessoas não pode ser algo feito às pressas, sem estratégia. É preciso criar um processo cuidadosamente adequado, com o objetivo de atender às expectativas da indústria.

Leia nosso artigo: A importância de uma boa gestão de pessoas na indústria!

Falta de treinamento

Ainda existe uma falha de gestão industrial associada ao trabalho do colaborador que pode trazer muito prejuízo à empresa, sem que o negócio perceba isso imediatamente: a negligência em relação ao treinamento profissional.

Quando a empresa coloca uma pessoa para desempenhar uma tarefa, operar uma máquina ou desenvolver um projeto sem a devida orientação, os resultados são imprevisíveis — e a imprevisibilidade é algo extremamente negativo na indústria.

Em alguns casos, a empresa aposta todas as suas fichas em um processo de treinamento amador, no qual os funcionários mais velhos ficam responsáveis por orientar os recém-chegados.

O problema é que nem sempre essa estratégia é a adequada, pois ainda que um funcionário tenha vasta experiência em uma função, ele pode ter as capacidades certas para ensinar outra pessoa, como ser didático ou paciente.

O treinamento dos colaboradores deve ser projetado pelo departamento de recursos humanos da empresa, já que esses profissionais têm acesso aos dados dos processos do empreendimento, podendo mapeá-los e compreendendo quais habilidades devem ser treinadas e porquê.

A terceirização do processo de treinamento pode ser vista como uma maneira de melhorar a gestão industrial em relação a esse aspecto, mas isso não é verdade.

Deixar que uma segunda empresa defina o que deve ser ensinado aos colaboradores pode não trazer resultados concretos.

Falhas na gestão de caixa

É fácil saber que a empresa teve um mês ruim quando se observa os números relacionados às vendas, mas como evitar que um período de baixa prejudique o futuro da fábrica? A resposta é simples: analisando os dados do negócio.

Existem empresas que operam como se estivessem jogando. Mesmo diante de um resultado negativo, elas dobram a aposta e seguem fazendo altos investimentos, acreditando que recuperarão aquele valor no futuro quando as vendas crescerem, o mercado se recuperar, a economia deslanchar etc.

Essa é uma ideia arriscada, uma vez que ela coloca a empresa em maus lençóis em caso de graves imprevistos, como crises econômicas.

O ideal é que os investimentos considerem a gestão de caixa do negócio, trabalhando em conjunto para que a empresa atinja metas de forma sustentável, respeitando as suas possibilidades e as características do mercado no qual está inserida.

Sendo assim, os processos contábeis devem ser feitos com muito cuidado, já que a contabilidade será o departamento que ajudará a empresa a entender a sua situação e o que deve ser mudado para que ela atinja suas metas.

Não gerenciar o estoque adequadamente

Suprimentos e peças parados no estoque significa recurso desperdiçado, por outro lado a ausência de materiais críticos em estoque pode causar a interrupção na produção quando ocorrer um incidente.

Encontrar o equilíbrio na gestão do estoque é fundamental para garantir a saúde financeira da sua indústria.

Há duas formas de alcançar esse equilíbrio. Alinhar o controle do estoque com a demanda da produção para que não haja excesso ou escassez de mercadorias é uma das saídas. Essa conexão entre os departamentos pode ser facilitada por um software de gestão.

A segunda forma é estabelecer com os fornecedores contratos para aquisição recorrente de suprimentos e serviços alinhados com a demanda da manutenção e produção.

Contratos como esse tem geralmente como benefícios a rapidez na entrega, redução de divergências entre os equipamentos e a compra de suprimentos por um preço menor.

Negligenciar a manutenção de equipamentos

Os equipamentos de uma empresa são parte de seu patrimônio. Mais do que isso, esses equipamentos são resultado do investimento realizado em determinado momento. Eles foram adquiridos por uma razão.

Por isso, é incompreensível ver empresas que negligenciam a importância desses equipamentos, fazendo com que eles não recebam a manutenção adequada.

Artigo tudo sobre manutenção

 

É preciso frisar que quando uma máquina deixa de funcionar, exigindo conserto emergencial, os custos são muito mais altos. Dentro da gestão industrial, a manutenção preventiva sempre se mostra como a estratégia mais adequada, pois evita que a fábrica precisa interromper suas atividades de forma não programada.

Modernização de processos

O mundo sempre evolui. Isso cria mercados, muda o comportamento do consumidor e exige que as empresas se reinventem e, em muitos casos, se modernizem.

Existem negócios que mesmo apresentando resultados positivos nas vendas, sempre têm uma margem de lucro muito inferior a objetivada. Em muitos casos, o problema não está no que a empresa fabrica, mas em como ela fabrica.

Modernizar os processos de produção, compra de materiais, marketing etc. pode fazer com que o seu negócio melhore o desempenho, fazendo mais e melhor — com menos recursos.

A modernização não se trata apenas de comprar máquinas, mas de realizar um profundo processo de análise interna, comparando o que se vê dentro do negócio com as soluções oferecidas pelo mercado.

Visitar feiras empresariais e contratar especialistas para avaliarem o seu negócio pode ser um bom começo para entender o que precisa ser alterado, com o único objetivo de melhorar os resultados da sua empresa.

A gestão industrial é um processo de constante análise. Ela não ignora processos e nem se limita aos resultados comerciais. A gestão industrial deve examinar a empresa, oferecendo ao empresário relatórios profundos, capazes de ajudá-lo a tomar decisões de maneira mais adequada.

Em muitos casos, esses relatórios apontam a necessidade de cuidar com mais atenção dos equipamentos e maquinários da fábrica. Se você quer entender mais sobre esse tema, fique atento às nossas publicações.

Página LinkedIn Acoplast Brasil

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 5 / 5. Nº de avaliações: 3

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.