Tipos de folgas mecânicas

Conheça 3 tipos de folgas mecânicas

As chamadas folgas mecânicas são problemas que acontecem quando os componentes rotativos de um equipamento estão alinhados de forma incorreta. Uma vez que essa falha interfere na vibração emitida pelos componentes, ela pode ser captada por meio de um sensor de vibração.

Para que o problema seja eliminado antes de causar algum problema, porém, é necessário que a sua causa seja identificada rapidamente. O que exige que os responsáveis pela manutenção conheçam a fundo suas características.

Levando esse fato em consideração, preparamos este conteúdo com informações completas a respeito das 3 principais folgas mecânicas às quais as máquinas de uma indústria estão sujeitas. Confira!

1. Folga mecânica tipo A

Não é exatamente uma novidade que, para que um equipamento industrial opere de modo eficiente, ele precisa estar em suas melhores condições. O que inclui a sua fixação no solo.

Afinal, qualquer problema nos pés ou nos suportes de uma máquina pode fazer com que as vibrações emitidas por elas aumentem. Um problema que, ao longo do tempo, tende a prejudicar seus componentes internos.

Essa folga mecânica, conhecida como tipo A, é encontrada por meio de uma verificação vertical nos pés do equipamento. Se a verificação constatar uma distorção de 180° nas fases de medição, a folga tipo A pode ser identificada.

Dentre os principais fatores que podem acarretar este problema, podemos citar os seguintes exemplos:

  • erosão ou afundamento do solo sob a máquina;
  • afrouxamento dos parafusos responsáveis por conectar a base da máquina ao solo;
  • avarias ou falhas na estrutura da base que conecta a máquina ao solo.

2. Folga mecânica tipo B

Outro fator indispensável para que uma máquina industrial funcione em seu pleno potencial é o ajuste de seus componentes internos. Se os parafusos estiverem frouxos, por exemplo, a regulação das peças vai acabar sendo perdida. O que, com o tempo, fará com que peças importantes sejam danificadas.

Esse problema faz parte da folga mecânica tipo B, que também engloba falhas como rachaduras na estrutura dos mancais e do skid.

Felizmente, um monitoramento eficiente também pode identificar este problema. Dentre as folgas mecânicas, a tipo B é diagnosticada por meio de onda temporal com dois pulsos a cada rotação.

3. Folga Mecânica tipo C

Por melhor que seja a qualidade de uma máquina industrial, ela não será capaz de operar adequadamente se os seus componentes internos, como os rolamentos, forem ajustados de modo incorreto.

Na verdade, esse tipo de falha tende a alterar negativamente o funcionamento da peça mal ajustada e dos demais componentes conectados a ela. O que abre espaço para que problemas relacionados às vibrações, aos ruídos e até mesmo a temperatura ocorram.

Dadas as características dessa folga mecânica, denominada Tipo C, diagnosticá-la é uma tarefa difícil. Isso porque os sinais, emitidos por ela, costumam variar de acordo com fatores como a posição do rotor.

Via de regra, esse tipo de folga emite um elevado ruído, o que indica a sua presença. Além disso, a onda emitida por ela tende a gerar harmônicos relacionados à relação entre o rotor e a peças soltas, ou mal ajustadas, sujeitas a força gerada por ele.

Esse problema costuma ser causado por erros como rolamentos mal ajustados ou danificados, castilhos não conectados à tampa, afastamento demasiadamente longo do rolamento da sua luva e rotores não conectados a eixos.

Tecnologia a favor da prevenção de folgas mecânicas

Dados os problemas que podem ser acarretados pelas folgas mecânicas, é fácil chegar a conclusão de que elas devem ser evitadas. A grande questão é que essa tarefa não é tão simples, principalmente quando falamos a respeito da folga mecânica tipo C.

Felizmente, a tecnologia surgiu com uma série de soluções e tecnologias para que indústrias, de todos os portes e áreas de atuação, possam lidar com este problema.

Neste contexto, soluções como o monitoramento de ativos, por exemplo, são capazes de identificar folgas mecânicas, e outros problemas tão críticos quanto elas, em tempo hábil, de modo que eles podem ser tratados antes de causar qualquer dano grave. Continue a leitura e entenda o que é, e como funciona, esse monitoramento!

A importância do monitoramento de ativos

De um modo simples e mais resumido, podemos descrever o monitoramento de ativos como o uso de sensores inteligentes, como o sensor de vibração e de temperatura, para monitorar o funcionamento de máquinas e de equipamentos industriais.

Estes sensores são conectados, por meio de redes sem fio, a computadores com softwares próprios para interpretar os dados apurados por ele. Sempre que alguma divergência é identificada, o próprio sistema sinaliza para os operadores humanos, que podem usar os dados gerados pelos sensores para tomar decisões.

Por meio do monitoramento de ativos, folgas mecânicas podem ser identificadas ainda em suas etapas iniciais. O que abre espaço para que o time de manutenção seja acionado antes que o problema evolua para uma situação mais grave.

Mais do que ser uma ferramenta útil para a verificação de problemas, o monitoramento de ativos pode ser encarado como um importante aliado para o aumento da produtividade. O que faz dele um dos pontos mais fundamentais na implementação da indústria 4.0.

A verdade é que o monitoramento de ativos é capaz de gerar uma série de vantagens práticas para indústrias. Continue a leitura e confira alguns exemplos:

  • redução de custos relacionados a manutenções e a produção;
  • aumento do controle sobre as máquinas em operação e seus componentes internos;
  • aumento da qualidade dos itens produzidos pelos equipamentos monitorados;
  • aumento de segurança para os profissionais responsáveis pela operação da máquina.

Em um mercado altamente competitivo, em que as indústrias precisam aumentar constantemente sua eficiência para se manterem relevantes, problemas como folgas mecânicas, que reduzem sua produtividade, podem se tornar uma grande desvantagem. Isso sem mencionar os prejuízos e defeitos que podem ser acarretados por estas folgas.

Levando esse fato em consideração, é fácil entender porque entender este problema, e conhecer os seus principais tipos, é tão importante.

Agora que você sabe o que são as folgas mecânicas, e conhece as suas principais características, assine nossa newsletter e receba mais conteúdos de qualidade!

Página do LinkedIn Acoplast Brasil

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 0 / 5. Nº de avaliações: 0

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.