checklist de equipamentos

Manutenção de equipamentos: como fazer um checklist completo

O checklist de equipamentos na manutenção é a verificação de pontos primordiais na rotina de reparos, levantando eventuais problemas e consequentemente prevenindo riscos e gastos desnecessários. Simplificadamente, trata-se dos itens que devem ser checados, reparados e analisados nos equipamentos utilizados em uma operação.

Artigo tudo sobre manutenção

Neste artigo, vamos mostrar a você os principais tópicos que envolvem a implementação desse documento. Você verá inicialmente os conceitos que cercam a manutenção de equipamentos. A partir daí, aprenderá como ele se inter-relaciona com o checklist e quais os passos necessários para implementá-lo corretamente.

Não perca mais tempo. Avance na leitura agora mesmo!

Quais são os tipos de manutenção existentes?

Qualquer empresa que possua máquinas compondo seu capital mobilizado tem a necessidade de efetuar manutenções de modo recorrente. Para que isso aconteça, existem basicamente três opções possíveis, baseadas nas modalidades de manutenções existentes.

No Brasil, predomina o uso da manutenção corretiva. Ela entra em cena apenas quando um equipamento, máquina ou caminhão da empresa sofreu uma quebra, e com isso está parada. Logicamente, isso ocasiona prejuízos de produção, assim como gastos a preços mais altos com compras e logísticas emergenciais.

Para que não se incorra em despesas alavancadas, uma opção é praticar a manutenção preditiva. Ela é guiada por inspeções regulares com vistas à verificação do estado do maquinário. São programadas e muito minuciosas.

Para a execução com maestria dessa modalidade de manutenção, é ideal a utilização de um checklist. Ele guiará todo o processo, garantindo que nenhum item deixe de ser inspecionado. Aliás, é importante utilizá-lo também no tipo de manutenção que iremos abordar a seguir: a manutenção preventiva.

Dados sobre manutenção no Brasil

O que é manutenção preventiva?

A manutenção preventiva consiste em uma ação planejada que foca na revisão, no controle e no monitoramento dos equipamentos periodicamente, reduzindo possíveis falhas.

Em outras palavras, não são ações realizadas no surgimento do problema, mas sim antes que ele possa aparecer — claro, de forma efetiva e bem definida. Por essa razão, o processo deve ser planejado para que a organização não perca a produtividade, além da garantia da melhoria dessas máquinas.

A manutenção preventiva é focada na substituição de peças baseada em seu tempo de trabalho definido pelo fabricante. Com isso, espera-se fazer as máquinas trabalharem em sua capacidade máxima, afastando a possibilidade de eventual quebra. Para que isso aconteça, é necessário contar com um estoque inteligente de peças sobressalentes.

Como implantar a manutenção preventiva?

Já pensou na possibilidade de melhorar o desempenho dos seus equipamentos em todos os aspectos? Pois é, a manutenção preventiva evita problemas mecânicos, hidráulicos ou técnicos, além de otimizar o consumo de energia e melhorar o desempenho dos equipamentos.

Embora a manutenção preventiva não impeça que possíveis falhas possam acontecer, ela reduz esses riscos. Para adotar essa prática, vamos mostrar alguns pontos essenciais para que você possa utilizá-la de forma adequada.

Quais são os pontos essenciais de uma manutenção preventiva?

Sabemos que pesquisa e sugestões são aspectos importantíssimos antes de implantar algo no negócio, não é? Por isso, antes de adotar a prática, faça um levantamento de todos os equipamentos da linha de produção. Além disso, separe as máquinas por nível de importância. Isso vai auxiliar você quanto às prioridades.

Realize o controle periodicamente

Manutenções periódicas asseguram o uso do equipamento, aumentando o seu desempenho e eficácia. Além disso, o controle periódico pode indicar pontos de desgaste mais facilmente. Investindo em manutenção periódica, você diminui os custos do uso emergencial — que é consideravelmente alto.

Registre informações sobre os equipamentos

Registrando cada incidente ou mau funcionamento das máquinas, você poderá constituir uma lista de dados sobre o período de utilização do equipamento e entender o que precisa ser alterado. Com essas informações levantadas, será possível diagnosticar a máquina corretamente na sua indústria, além de garantir uma melhor atuação.

Treine os funcionários

Oriente e invista no treinamento dos seus funcionários. Faça com que eles entendam a importância do controle da manutenção. Essa ação é uma característica muito importante do serviço de manutenção autônoma. Assim, eles poderão identificar possíveis falhas e anormalidades no uso do equipamento e fazer a comunicação ao seu superior imediato.

Faça um checklist

Faça um bom checklist de manutenção. Isso pode garantir aspectos a serem observados durante uma revisão, evitando que as alterações não tenham resultado. A tarefa visa constatar as condições operacionais do equipamento (antes ou após o seu uso), buscando identificar a raiz de possíveis falhas e quebras que podem ocorrer.

De que forma os dados devem ser coletados para um checklist de equipamentos?

Para elaborar um bom procedimento que seja guiado por meio de um checklist, é essencial ter algumas premissas em mente. Listamos a seguir alguns tópicos que irão ajudar você nesse processo.

Organize as informações já existentes

No momento de implementação da estratégia de checklist, pode ser que já existam alguns dados sobre os procedimentos de manutenção realizados anteriormente. O primeiro passo deve ser, portanto, organizar todas as informações já existentes. Para isso, recorra a qualquer tipo de anotação e coloque tudo em um único arquivo. Posteriormente, será mais fácil localizá-lo.

Iniciando o trabalho dessa forma, é possível montar um histórico acerca das intervenções já realizadas em um equipamento. É importante fazer isso para cada máquina do parque fabril, ou para cada caminhão existente na empresa. Não importa, o que deve ser considerado é o levantamento das informações das máquinas existentes.

Depois de finalizado esse processo, será possível retirar informações importantes sobre os equipamentos mapeados: aqueles que dão mais defeitos, os tipos de falhas apresentadas por cada um deles e vários outros dados. Isso ajudará a ter um melhor processo de manutenção.

Faça a mesclagem de diferentes setores

É muitíssimo importante que haja interação entre os departamentos de uma organização. Isso ajuda muito a montagem de processos de verificação e monitoramento quando da execução das manutenções em máquinas e equipamentos.

O setor de produção, por exemplo, é um grande aliado no mapeamento de problemas. Podem ser identificados aqueles com maior número de ocorrências. Assim, é possível montar ações preventivas para minimizar o surgimento dessas intercorrências. O resultado é ganho financeiro para a organização.

Outro exemplo pode vir de empresas com forte atuação na área de logística. Para que elas exerçam suas atividades pelo meio terrestre, é necessário que exista uma frota de caminhões transportadores (que também são máquinas). Ninguém melhor do que os motoristas desses equipamentos para apontar suas particularidades.

Conheça bem o plano de manutenção

Procedimentos eficientes de verificação e intervenção em máquinas são sempre guiados por planos de manutenção. Quanto mais criteriosos e bem feitos eles estiverem, melhor será. Se sua organização não tiver um plano desses, então a situação é mais grave do que parece. Providencie o mais rapidamente possível.

Estando tudo normal, a recomendação é que você conheça bem tal planejamento. Para conseguir casar essas informações com o checklist que se tem objetivo produzir, é importante conhecer todos os detalhes: intervalo de troca de peças, programação de parada de máquina para intervenção, periodicidade de lubrificação etc.

Apenas dominando todas as particularidades das máquinas existentes é possível montar um bom checklist e que tenha efetividade. Conhecer a programação do trabalho da equipe de manutenção é essencial, e isso se faz por meio do estudo do plano de manutenção.

Um bom checklist de equipamentos demanda tempo e experiência. Com treinamento, você e sua equipe poderão observar quais pontos devem ser modificados e quais não precisam fazer parte do seu processo de manutenção. Para isso, é importante contar com a integração dos diferentes setores da companhia. Asim, pode-se criar um plano de manutenção mais eficiente para sua organização.

Gostou deste artigo? Então nos siga nas redes sociais. Estamos no Facebook e no LinkedIn!

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 5 / 5. Nº de avaliações: 5

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.