Confira as vantagens de ter um Plano Mestre de Produção

Para que uma indústria funcione sem erros, interrupções, falta ou excesso de materiais, é necessário recorrer a métodos que tornem o processo produtivo mais simples, como o plano mestre de produção. Sem esse documento, os resultados tendem a ser negativos, como uma diminuição da produtividade e o mau uso dos recursos da indústria.

É importante se assegurar de que o produto seja entregue na quantidade certa, para o cliente certo, na data certa — o que só é possível quando a gestão realiza um rigoroso acompanhamento dos processos industriais e do Planejamento e Controle da Produção (PCP).

CTA - Post Planejamento e Controle de Produção - Acoplast Brasil

Para anular os erros na rotina de trabalho, a solução mais comum é o plano mestre de produção.

Para que você entenda a importância desse documento para o cenário fabril, acompanhe este post. Vamos explicar mais detalhes sobre o que é o plano mestre de produção, quais são as suas vantagens e como montá-lo para a indústria. Aproveite!

O que é um plano mestre de produção?

O plano mestre de produção é um documento usado para otimizar a linha de produção na manufatura e criar padrões para o fluxo de trabalho. Nele, é possível definir a lista de produtos a serem produzidos e suas datas de entrega, além de calcular a quantidade de unidades, estabelecer etapas, equipamentos, responsáveis e o período de produção.

Com as datas de entrega de cada produto e uma análise de quanto por ser produzido em determinado intervalo de tempo, o plano mestre de produção facilita a tarefa de manter a organização operacional e priorizar ordens mais urgentes.

O plano também pode ser encontrado com as siglas PMP (Plano Mestre de Produção) e MPS (Master Production Schedule). Sua elaboração geralmente é realizada pelos profissionais do departamento de desenvolvimento estratégico, na área de Planejamento e Controle da Produção (PCP).

Quais são as vantagens de ter um plano?

O fato de ser um planejamento é por si só uma vantagem para a gestão de projetos industriais, uma vez que o direcionamento e a organização do fluxo de trabalho são um desafio para as fábricas. Contudo, o plano mestre de produção oferece outras vantagens que merecem atenção. Confira!

Maior capacidade de produção

Um dos efeitos diretos do plano mestre de produção é o aumento da capacidade produtiva da indústria e, como resultado, o aumento da lucratividade. Quando há o alinhamento entre tempo de produção, quantidade de produtos e quantidade de pessoal disponível, as fábricas podem priorizar ordens de serviços urgentes e tornar o encadeamento mais eficiente.

Dados confiáveis para tomar decisões

Além de melhorar a capacidade produtividade da indústria, o plano mestre de produção reúne dados sobre a linha de manufatura úteis para insights e decisões mais conscientes por parte da gestão. Com esse documento, fica mais fácil prever cenários, evitar imprevisibilidades e identificar pontos de melhoria.

Ao compreender melhor a capacidade de produção da indústria, os gestores podem fazer uma previsão de faturamento e permitir que o setor financeiro mantenha as contas equilibradas. Com um faturamento previsível, é possível planejar melhor todas as decisões que envolvem, por exemplo, a gestão de fornecedores, de estoque e de clientes.

Além disso, ao melhorar a qualidade das informações, os gestores podem planejar intervenções capazes de diminuir o retrabalho e desperdiço de recursos. Com a análise da entrada e saída de matéria-prima, por exemplo, é possível diminuir a compra de materiais desnecessários e investir as economias em outros processos.

Redução de prejuízos

Um dos desafios das fábricas é reduzir perdas na linha de produção, tanto no processo em si quanto na entrega dos produtos. Sem o plano mestre de produção, corre-se o risco de manter os prejuízos e não identificá-los. Quando se compreende melhor a demanda de cada produto, fica mais fácil trabalhar para evitar imprevistos.

Como executar um plano mestre de produção?

Planejar a operação industrial de forma inteligente para atender à demanda pode parecer um desafio simples. Na prática, quem atua na indústria sabe que existem flutuações e fatores que nem sempre são previsíveis e dificultam o controle da linha de produção.

Para dar conta do máximo de fatores com organização, é possível usar um software de gestão ou outras ferramentas digitais voltadas para a indústria, em vez de adotar uma planilha do Excel. Soluções automatizadas reduzem a possibilidade de erros e tornam o processo mais prático.

Independentemente disso, existem algumas etapas essenciais para o efetivo acompanhamento do plano mestre de produção. Descubra quais são logo abaixo.

Previsão de demanda

O primeiro passo consiste em fazer uma previsão de quanto a fábrica venderá em determinada temporada. O objetivo é ter uma ideia de quanto se deve produzir para suprir a demanda futura. Essa fase preliminar é importante para as demais e envolve a previsão de demanda para o curto, médio e longo prazo.

Para o curto prazo, é preciso lidar com a demanda mais imediata a partir da gestão de estoque. No médio prazo, a previsão deve ser feita para um período de seis meses a dois anos. No longo prazo, a previsão diz respeito ao período de cinco anos ou mais e envolve questões mais amplas, como desenvolvimento de novos produtos e ampliação da capacidade produtiva.

Entenda como fazer a previsão de demanda na indústria neste conteúdo aqui! 🤓

Planejamento da capacidade de produção

Na segunda fase do plano mestre de produção, os gestores precisam se aprofundar nas questões que envolvem a previsão da capacidade de continuar produzindo no médio e longo prazo. Por exemplo, reduções que não podem ser feitas no curto prazo, aquisições de novas máquinas e compra de matérias-primas.

Planejamento agregado

Essa etapa pode durar meses até um ou dois anos, dependendo do tipo de produto. Ela envolve a análise dos níveis de produção do estoque a partir de um grupo de produtos semelhantes produzidos na indústria.

Com base nessas informações e das etapas anteriores, o planejamento mestre define de maneira bastante detalhada os processos da indústria, os recursos, as etapas e seus responsáveis, de acordo com a demanda de determinado período.

Fica claro que o plano mestre de produção é um excelente método para tornar o processo produtivo de uma indústria mais previsível e simples, com o mínimo de erros, interrupções, falta ou excesso de materiais.

Como vimos até aqui, o documento também oferece uma base ampla de informações acerca do processo de manufatura que pode ser usada de maneira inteligente para o gestor tomar boas decisões.

Em resumo, essa é apenas uma das estratégias para um bom planejamento de produção na indústria. Se você está em busca de mais dicas, confira também o que é o Planejamento dos Materiais Requisitados (MRP) e suas aplicações.

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 5 / 5. Nº de avaliações: 1

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.