Imagem de uma mão segurando uma chave de rosca, o fundo da imagem é azul. Esta imagem foi escolhida para representar o artigo sobre programa de manutenção

Por que sua empresa não pode ficar sem um programa de manutenção?

O programa de manutenção industrial tem como objetivo aumentar a vida útil de máquinas e equipamentos, por meio da realização de ações que restauram um componente, peça ou até toda a máquina.

Em um mercado cada vez mais concorrido, esse processo é um fator importante na estratégia de qualquer empresa que deseja oferecer serviços eficientes e ter um bom custo-benefício.

Além disso, a manutenção programada é fundamental para manter o ciclo operacional em pleno funcionamento, evitando gastos maiores no futuro.

Mas, e aí? Quer saber qual a importância de um programa de manutenção e como implementá-lo?

Então confira esse artigo que preparamos especialmente para você!

O que é um programa de manutenção?

O programa de manutenção é um processo que supervisiona regularmente o funcionamento dos recursos técnicos da empresa.

Essa medida evita problemas como paradas na produção, devido a equipamentos quebrados e gastos com procedimentos de manutenção ineficientes.

Portanto, ter um bom planejamento para a manutenção industrial é altamente recomendado, pois contribui para aumentar a durabilidade das máquinas.

Existem vários tipos de manutenção, porém, as três mais importantes e aplicadas nas indústrias são: a preventiva, preditiva e a corretiva.

Veja abaixo qual é a diferença entre elas:

  • Manutenção preventiva: essa manutenção é planejada e feita de forma contínua e periódica a partir de um cronograma pré definido. Assim, ela gera menos custos e faz com que os equipamentos operem com máximo desempenho;
  • Manutenção preditiva: a grande diferença entre a manutenção preditiva e preventiva é que a preditiva baseia-se em uma inspeção sistemática, na observação do maquinário quanto à modificação dos parâmetros e condições de funcionamento, não sendo realizada obrigatoriamente de acordo com cronogramas. Além disso, ela é automatizada e aplicada a partir do monitoramento de ativos;
  • Manutenção corretiva: é a correção imediata de problemas que atrapalham o bom funcionamento de equipamentos e máquinas. Ou seja, quando uma máquina quebra, é a corretiva que deve ser aplicada.

Outra vantagem das manutenções planejadas é que elas aumentam a produtividade. Assim, elas evitam que paradas na produção ocorram pela quebra das máquinas. Isso previne manutenções corretivas, que são mais caras e implicam em queda na produtividade.

Como implementar um programa de manutenção?

O principal benefício de um programa de manutenção (contrato de manutenção) é a redução de gastos, seja com mão de obra, tempo ou materiais.

Veja os principais itens para promover um bom plano de manutenção!

1.  Avalie o estado de todos os ativos

Em primeiro lugar, é necessário conhecer os ativos e avaliar a sua real condição, o esforço ao qual eles estão submetidos e o seu histórico, para que seja possível estimar quando ocorrerá a falha.

Infelizmente, não há como determinar uma data exata para isso. Mas, é possível prevenir e antecipar à possíveis falhas funcionais e potenciais ao programar as manutenções com antecedência.

Um levantamento de qualidade deve conter:

  • Número de falhas, pequenas paradas, índice de acidentes de trabalho, custo do tempo ocioso;
  • Desempenho do equipamento;
  • Nível de falhas;
  • Metas de manutenção.

2.  Defina os objetivos e ações do programa de manutenção

As operações do programa de manutenção devem considerar três requisitos:

  • Aplicabilidade;
  • Eficiência;
  • Rentabilidade.

O programa é aplicável se puder ser implementado, eficiente se reduz a ocorrência de falhas, e rentável se traz melhorias para a produção.

A frequência das manutenções devem, de preferência, seguir as instruções do fabricante do equipamento. Porém, algumas condições de uso e esforços maiores do que o esperado podem interferir no cronograma.

As ações de manutenção pode ser divididas em dois tipos:

A primeira é baseada no tempo previsto para substituir ou restaurar peças e componentes que têm mais chances de falha, de acordo com o seu tempo de uso.

Quando o limite de tempo for atingido, as ações devem ser executadas independentemente do estado da peça no dia da troca. Esse tipo de ação baseada no tempo costuma ser eficaz quando existe uma relação entre a idade do objeto e a probabilidade de falha dele.

A segunda forma de verificar a necessidade de manutenção é de acordo com a condição da peça, levando em consideração os resultados das inspeções regulares.

O objetivo é controlar possíveis falhas e substituir componentes antes que elas aconteçam.

3.    Documente as ações

As ações do programa de manutenção devem ser documentadas para que sejam compreendidas com facilidade, utilizando mais desenhos e esquemas do que textos.

É importante deixar claro quais são os objetivos da inspeção e como ela deve ser realizada.

Além disso, o documento deve ter as seguintes informações:

  • Serviços a serem realizados;
  • Data de realização;
  • Quem são os responsáveis pela execução desses serviços (nome, função e contato);
  • Quais são os riscos envolvidos nas tarefas;
  • Quais são os recursos necessários para executar os serviços;
  • Tempo e custo de cada serviço;
  • Máquinas e ferramentas necessárias.

4.  Programe as manutenções de forma automática e otimizada

Insira todos os dados possíveis sobre os ativos (funcionamento, manutenções já realizadas, falhas, etc) em um sistema para otimizar o planejamento dos serviços de manutenção. Ele deve verificar as necessidades de produção, as preferências de manutenção, entre outros.

A partir disso, serão fornecidas algumas sugestões que podem otimizar a programação e execução dos serviços, aumentando a produtividade e eficiência operacional.

5.  Registre todas as ações

É importante fazer relatórios depois de cada etapa do programa de manutenção.

Eles ajudam na análise de erros e acertos, no registro de peças trocadas, gastos com equipamentos e componentes, e o tempo médio para executar as tarefas.

Quais erros evitar ao implementar um programa de manutenção?

Ao preparar e executar um programa de manutenção é fundamental que exista um supervisor para fiscalizar os processos e operações, com o intuito de reduzir os erros ao máximo.

Isso faz parte do gerenciamento de riscos, que visa preveni-los e evitá-los.

Nos casos em que eles se tornam realidade, a equipe de gestão procura reduzir os seus impactos na operação e nos processos.

Portanto, a seguir, nós mostraremos quais são os principais erros na manutenção e as formas de evitá-los:

  • Utilizar as ferramentas de forma inadequada na operação;
  • Não ter um Planejamento e Controle de Manutenção (PCM);
  • Produzir um histórico consistente para o planejamento;
  • Não ter mão de obra capacitada e não investir em treinamentos;
  • Não realizar registros de manutenção;
  • Não conhecer o histórico dos ativos.

Os programas de manutenção são indispensáveis para qualquer indústria, pois reduzem significativamente a probabilidade de falhas com a substituição e vistoria dos componentes antes que ocorram quebras.

É importante que a manutenção seja feita com produtos e ferramentas de qualidade, aumentando ainda mais a vida útil dos equipamentos.

Se a sua indústria estiver precisando de programas de manutenções corretivas, preventivas ou preditivas (monitoramento de ativos), entre em contato conosco e garanta melhores resultados produtivos!

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: / 5. Nº de avaliações:

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.