Imagem ilustrativa - retentores industriais

Retentores: conheça as aplicações e os principais modelos

Os retentores são peças essenciais no funcionamento de uma máquina. Afinal de contas, são responsáveis por impedir a passagem de fluídos de um componente lubrificado para outro em que não é preciso lubrificação. Como existem muitos tipos no mercado, se torna fundamental conhecer suas características.

O principal objetivo, aqui, é escolher a peça conforme as necessidades de sua produção, a qualidade e a durabilidade. Como consequência, com base em informação, você consegue potencializar a operação com foco em minimizar qualquer período de inatividade causado por falhas inesperadas.

Quer saber mais? Vamos tirar as suas dúvidas sobre retentores. Acompanhe!

Como funciona um retentor?

Antes de mais nada, a principal função de um retentor é reter diferentes tipos de fluídos, como óleos e graxas que precisam ser contidos na parte interior de um equipamento. Com isso, é possível evitar a entrada de resíduos e impurezas do exterior. Entre os principais exemplos estão areia, poeira e terra.

Eles são utilizadas em todos os tipos de segmentos em praticamente tudo o que precisa de movimentação mecânica. Veja, a seguir, exemplos de onde o retentor é usado:

  • motocicletas;
  • caminhões;
  • carros;
  • ônibus;
  • máquinas agrícolas;
  • eletrodomésticos;
  • aviões;
  • máquinas industriais.

Em outras palavras, o retentor cumpre a função de vedação em condição estática, em máquina parada, e na condição dinâmica, de máquina em movimentação. Além disso, ele atua também na variedade de condições de temperatura e de meio externo conforme as projeções feitas para a máquina inicialmente. Assim, a vedação acontece pelo contato entre a aresta do lábio de vedação e o ponto de eixo da máquina.

Construção

Agora que você já sabe como funciona um retentor e sua importância para uma máquina industrial, vamos falar sobre o processo de construção. Nos diferentes retentores que existem no mercado, são usados quatro tipos de borrachas sintéticas: Nitrílica (NBR), Poliacrílica (ACM), Silicone (MVQ), Fluorelastômero (FPM).

Como cada classificação de borracha sintética tem uma variação de resistência química, se mostra essencial que o retentor escolhido tenha compatibilidade com o fluido que será vedado. Vale ressaltar que determinam também a escolha da borracha questões como temperatura e a velocidade de rotação do eixo.

Na prática, o retentor é composto por algumas peças específicas dentro de sua aplicação. Confira, agora em detalhes, a construção dos retentores!

Vedação principal

Se trata da parte que faz contato com o eixo e retém os fluidos no que forma o sistema. Em algumas situações atualmente, os retentores têm nervuras especiais em aplicações dinâmicas. Como consequência, existe um efeito hidrodinâmico que costuma ser comparado com um sistema de sucção que evita os fluídos de passarem.

Vedação auxiliar

Conhecido como “lábio externo” trabalha com a outra parte da vedação. O objetivo é evitar que a sujeira, os óleos ou outros resíduos interfiram na parte interna.

Mola

A principal função é compensar a carga radial recebida pelo eixo. Funciona como uma espécie de “backup” que garante a eficácia da vedação e mantém a carga.

Carcaça

Representa a estrutura externa do retentor e possibilita a montagem no alojamento designado. Feita de aço normalmente também pode ser composta por outros tipos de metais.

Costas

É o apoio para vários dispositivos de montagem.

Diâmetro externo

Com materiais e revestimentos que variam conforme as necessidades, representa a interferência entre os retentores e a superfície do alojamento.

Tipos mais comuns de retentores

A escolha dos retentores depende do local onde eles serão usados. No entanto, se mostra essencial ter atenção com o material do produto. Sem contar que também é preciso saber especificar detalhadamente quais serão as finalidades de uso. O responsável pela venda precisa tirar todas as dúvidas de maneira personalizada e ter bastante esclarecimento sobre o tema.

Só assim será possível tomar uma decisão conforme a máquina em que a peça será instalada. Em função disso, é indispensável conhecer os tipos mais comuns de retentores para avaliar o que pode ser mais eficiente conforme as necessidades do equipamento e fatores adicionais, como durabilidade, qualidade e os resultados apresentados.

Retentor de válvula

Usado especialmente em motos, o retentor de válvula fica localizado no cabeçote e impede que os fluidos acabem invadindo a câmara de combustão. Caso se queimem, acontece a produção de fumaça, e o óleo presente na válvula de escape é desperdiçado.

Retentor de bengala

Outro tipo de retentor usado em motos, o retentor de bengala evita que os fluidos lubrificantes possam escapar. Normalmente, a parte da frente da moto é lubrificada e impulsiona o amortecimento da moto. Caso os fluidos escapem, a outra parte que realiza o amortecimento é danificada por ser sobrecarregada.

Retentores industriais

Usados para o rolamento aplicado na indústria, os retentores industriais têm diferentes significados entre si. Os mais comuns são os retentores radiais para diâmetros de eixo que medem até 203 mm e as opções para grandes diâmetros com características maiores do que 203 mm.

Esse tipo de retentor tende a ser usado em aplicações industriais mais pesadas. Podemos citar como exemplos a fabricação de papéis, indústria metalúrgica, energia eólica, mineração e exploração florestal. Como diferencial, esses retentores funcionam em várias velocidades e temperaturas diante de condições ambientais agressivas.

A grande vantagem desse tipo de produto é que o mercado é bastante variado. Além dos retentores citados, existe uma infinidade de especificações, como os modelos feitos para jetski, retentores de arroçadeiras, retentores da bomba de óleo, retentores de embreagem e de motosserra. O mais importante, nesse caso, é que sua empresa opte por um modelo que atenda suas necessidades e seja de alta durabilidade.

Quais são as aplicações?

As aplicações dos retentores estão em diversos sistemas. Porém, variam conforme diferenças mecânicas e químicas. Estão no segmento de elétrica, hidráulicos, mecânicos ou pneumáticos. Esses componentes são essenciais na hora de prolongar a vida útil de um sistema e aprimorar a qualidade.

Assim, cada tipo de compra deve ter como objetivo a aplicação específica como forma de garantir a máxima eficiência e a segurança do retentor. Juntamente com a escolha do modelo, o processo de instalação também deve ser realizado com o acompanhamento próximo da manutenção preventiva e do máximo de tecnologia possível para garantir os melhores resultados.

Agora ficou claro quais são os principais modelos de retentores e suas aplicações. O grande segredo está em optar por um produto que se encaixe com as necessidades de sua indústria e acompanhar de perto as inspeções e os processos de limpeza. Só assim será possível aproveitar todos os benefícios da peça na operação e potencializar a produtividade.

Gostou das informações do artigo? Então, entre em contato com a Acoplast Brasil e conheça soluções personalizadas para sua indústria.

Página do LinkedIn Acoplast Brasil

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 5 / 5. Nº de avaliações: 2

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.