Principais tipos de acoplamento flexível e como escolher

Tipos de acoplamento flexível: conheça os principais e entenda como escolher o melhor

O uso do acoplamento flexível está presente nos mais diversos setores, como indústrias alimentícias e siderúrgicas. Conheça mais sobre os principais tipos de acoplamento flexível e como escolher o melhor para sua aplicação. 

Os acoplamentos são elementos de transmissão mecânica responsáveis por conectar sistemas de máquinas. O que muitas pessoas não sabem é que existem vários modelos de acoplamentos flexíveis e cada um deles é indicado para um tipo de atividade.

A seguir explicaremos detalhadamente quais são as diferenças entre cada tipo de acoplamento. Se você quer aumentar o seu conhecimento sobre maquinário industrial, acompanhe a leitura!

Qual é a importância do acoplamento flexível?

Como já dissemos, acoplamentos são dispositivos que permitem a conectividade de dois ou mais equipamentos estáticos, de forma que uma máquina transmita torque e rotação para a outra, formando assim um sistema.

Além de unir máquinas, os acoplamentos também têm a função de absorver desalinhamentos e reduzir choques mecânicos entre os equipamentos. Resumidamente, podemos dizer que a função do acoplamento flexível é fazer com que as máquinas trabalhem com mais fluidez.

Mas, como dissemos, existe mais de um tipo de acoplamento flexível. Encontrar o modelo certo para cada tipo de operação é fundamental, pois isso influencia diretamente na vida útil das máquinas e também na sua performance, impactando a produção da indústria.

A escolha do acoplamento certo também pode evitar cargas radiais excessivas, danificações no eixo dos motores e desgaste do rolamento ou de outros componentes das máquinas.

Quais são os principais tipos de acoplamento flexível?

Existe uma grande diversidade de tipos de acoplamentos, entre os mais conhecidos podemos citar: de segurança, hidráulicos, magnéticos, rígidos, entre outros. Veja a seguir quais são os principais tipos de acoplamento flexível:

Acoplamento de engrenagem

O nome desse dispositivo se dá graças a sua função de absorver o desalinhamento entre dois eixos rotativos. O grande diferencial do acoplamento de engrenagem é que ele é capaz de transmitir torques mais elevados quando comparado a outros modelos maiores, tudo isso devido a sua estrutura dentada.

Também é por conta de sua estrutura diferenciada que este tipo de acoplamento precisa de ser lubrificado com maior frequência.

Acoplamento de lâminas

Formado por uma série de lâminas de metal, este tipo de acoplamento compensa o desalinhamento dos eixos das máquinas ligadas a ele deformando suas lâminas elasticamente. Ou seja, as lâminas deste acoplamento sofrem uma pequena deformação em seu alinhamento para não prejudicar o eixo das máquinas, mas, em seguidas, voltam para a sua forma original.

Acoplamento de corrente

Os acoplamentos de corrente são conhecidos por sua alta capacidade de transmissão de torque, portanto, são recomendados para sistemas de máquinas onde não pode haver grande perda de potência.

Neste modelo, cada um dos dois cubos tem sua extremidade formada por corrente dentadas. Dessa forma, quando os cubos são unidos, forma-se uma corrente dentada dupla.

Acoplamento de bucha

O elemento flexível presente nessa peça é uma bucha de uretano. Este acoplamento é composto por duas falanges que se encaixam nos dentes internos da bucha, sendo assim, cada falange é fixada a um eixo.

O torque é transmitido através da bucha, dessa forma, o desalinhamento e o choque são absorvidos pelo elemento flexível. Este tipo de acoplamento é muito indicado para absorver cargas de grande impacto.

Acoplamento de correia

O diferencial do acoplamento de corrente é sua alta capacidade de transmissão de torque, já o acoplamento de correia é a melhor opção para quem procura um dispositivo que absorva impactos e vibrações. Ao contrário das engrenagens, as correias exigem pouca manutenção e lubrificação.

Como o nome sugere, o elemento que permite a flexibilidade deste tipo de acoplamento são duas correias planas que interligam os cubos. Outra vantagem deste tipo de acoplamento é que as correias permitem desalinhamento axial e angulas em todas as direções.

Acoplamento de pneu

Agora precisamos falar sobre um dos modelos mais versáteis: o acoplamento de pneu. Seu elemento flexível, como é de se imaginar, é uma roda de borracha que se parece um pneu.

O acoplamento de pneu compensa, simultaneamente, o desalinhamento em todos os planos, consequentemente, não sobrecarregam os rolamentos que sustentam os eixos das máquinas.

Além de poder ser usado em várias aplicações, o acoplamento de pneu reduz vibrações, absorve choques e diminui a oscilação torcional. O único ponto negativo é que esse modelo, por ser feito de borracha, não suporta todo tipo de temperatura.

Como escolher o melhor tipo de acoplamento para as suas máquinas?

Agora você já conhece os principais tipos de acoplamento flexível e quais suas indicações mas você ainda deve estar se perguntando o que é preciso levar em consideração na hora de escolher o tipo ideal de acoplamento.

Primeiro, você deve se perguntar qual tipo de problema na produção industrial da sua empresa você pretende solucionar com a aquisição do acoplamento. O que está prejudicando a produção é a perda de potência? As vibrações estão danificando as máquinas? Deseja reduzir os custos com manutenção? O ruído produzido pelas máquinas está incomodando os colaboradores?

Faça uma lista com todos os problemas que você consegue observar no maquinário e procure pelo modelo que melhor atende às suas necessidades. Além disso, considerar as características do seu maquinário também ajuda na hora de escolher o melhor tipo de acoplamento flexível.

Se mesmo assim você ainda está em dúvida, entre em contato com um fornecedor de acoplamentos que seja confiável. Pergunte quais tipos de peças ele oferece e tire todas as suas dúvidas. Se o fornecedor realmente for um especialista no assunto, ele saberá indicar o melhor tipo de acoplamento para as suas máquinas.

A Acoplast, por exemplo, está presente no mercado há mais de 20 anos e, por isso, se tornou referência quando o assunto é acoplamentos, motorredutores, redutores, freios contra recuos e anéis de contração motorredutores, redutores, freios contra recuos e anéis de contração

Gostou deste texto? Gostaria de se aprofundar mais no assunto? Então confira esta outra postagem onde nós explicamos melhor o que são e para que servem os acoplamentos.

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 0 / 5. Nº de avaliações: 0

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.