Tipos de acoplamentos industriais: Quais são e onde utilizá-los

Todo processo industrial exige que o maquinário esteja em dia e utilize os melhores recursos possíveis para que o resultado seja eficiente, eficaz e capaz de gerar resultados com a mais alta qualidade. Por isso, algumas peças devem receber atenção especial, incluindo todos os tipos de acoplamentos.

Isso se reflete não só no bolso, mas também na produtividade, longevidade dos equipamentos e alinhamento das capacidades produtivas de uma indústria. Afinal, ter acoplamentos ideais permitem a rotação mais fluida do maquinário, o que aumenta a confiabilidade da operação e gera uma série de outros benefícios.

Confira neste guia tudo que você precisa saber sobre os tipos de acoplamento industriais, como utilizá-los, a importância de uma boa escolha e diversas outras dicas sobre o tema. Continue a leitura para entender tudo sobre o tema!

O que são acoplamentos industriais?

Os acoplamentos industriais são dispositivos mecânicos usados para conectar dois eixos de uma máquina, permitindo a transmissão de potência e movimento. Sua principal função é absorver desalinhamentos entre eixos, minimizar choques e vibrações, e permitir a manutenção fácil e rápida dos componentes.

Eles são muito importantes para a operação suave e eficiente das máquinas, reduzindo o desgaste e prolongando a vida útil dos equipamentos. Na prática, isso se converte em menos manutenção no maquinário, além de economia e uma produtividade com mais eficiência.

Também vale dizer que pode-se empregá-los em uma ampla gama de maquinários, desde os mais simples até os mais complexos. Essa versatilidade, no entanto, exige conhecimento sobre os tipos de acoplamento para maximizar a compatibilidade.

Quais são os usos dos acoplamentos industriais?

A principal função dos acoplamentos industriais é transmitir potência mecânica a partir do movimento das partes. Isso é útil em diversos contextos. Veja abaixo os principais.

Linhas de manufatura

Geralmente conecta-se motores e geradores por meio de acoplamentos para garantir a sincronia das peças. Em tornos de CNC, por exemplo, isso garante a precisão dos cortes e dobras, aumentando, inclusive, a segurança que o equipamento fornece ao seu operador.

Setor médico

Exames que utilizam maquinários como o de tomografia e ressonância magnética dependem de rolamentos para que a rotação gere o campo magnético necessário, o que promove o alinhamento das células necessárias para o diagnóstico.

Tratamento de água

Aqui os acoplamentos são necessários para conectar motores a bombas e sistemas de filtragem, garantindo operação contínua e eficiente em plantas de tratamento de água e esgoto.

Indústria alimentícia

A facilidade da higienização das máquinas é o que faz dos acoplamentos uma grande vantagem nesse segmento. Afinal, com uma fluidez maior das máquinas é possível fazer todos os processos de maneira mais orgânica e ágil.

Enfim, esses são apenas alguns exemplos, mas é possível notar uma importância significativa dos acoplamentos de diferentes tipos também nos setores de:

  • metalurgia;
  • transporte;
  • construção civil;
  • papel e celulose;
  • indústria de energia e muitos outros.

Quais são os tipos de acoplamentos industriais?

Agora que você já conhece as aplicações e entende o conceito, é hora de conhecer os principais tipos de acoplamentos. Veja abaixo!

Acoplamentos elásticos ou flexíveis

São ótimos para aplicações nas quais há necessidade de flexibilidade e redução de vibrações. Além disso, usam-se comumente em bombas, compressores e motores elétricos, muito presentes em indústrias geradoras de energia.

Acoplamentos rígidos ou fixos

Os acoplamentos desse tipo são usados quando não há desalinhamento entre os eixos e uma conexão rígida é necessária por oferecerem alta precisão. Muito comuns em máquinas que exigem alinhamento preciso, como sistemas de transmissão de energia em linhas de produção automatizadas.

Acoplamentos de lâminas

Aqui temos modelos frequentemente encontrados em turbinas a gás e geradores, em cenários nos quais a capacidade de lidar com altos torques e desalinhamentos é indispensável para o desempenho e a segurança.

Acoplamentos de engrenagens

Consistem em dois cubos dentados que se encaixam entre si, permitindo a transmissão de torque mesmo com desalinhamentos radiais e angulares. Por serem altamente duráveis e robustos, eles geralmente são empregados em maquinário muito pesado, como trituradores, moinhos etc.

Acoplamentos hidráulicos

Os acoplamentos hidráulicos utilizam fluidos para transmitir torque, permitindo um controle suave da aceleração e desaceleração. Transportadores e máquinas de processamento de materiais geralmente fazem uso desse modelo por causa da facilidade de controlar a potência das peças, conferindo mais precisão aos processos.

Acoplamentos magnéticos

Por meio da força magnética, eles transmitem torque sem contato físico entre os eixos. Na prática, operações que precisam de uma separação física se beneficiam bastante disso, uma vez que ele elimina o atrito e evita líquidos corrosivos.

Onde utilizar cada um dos tipos de acoplamentos?

O uso dos acoplamentos está intimamente ligado à sua natureza, capacidade de resistência e funcionamento. Sendo assim, não basta conhecer os principais tipos; é necessário saber onde aplicá-los. É isso que mostraremos a seguir.

Acoplamentos elásticos ou flexíveis

Os acoplamentos elásticos ou flexíveis são projetados para absorver desalinhamentos angulares, radiais e axiais, além de amortecer vibrações e choques. Isso aumenta a vida útil dos componentes conectados e melhora o desempenho da máquina.

No entanto, podem não ser adequados para aplicações que exigem alta precisão de alinhamento ou envolvem torques extremamente elevados.

Acoplamentos rígidos ou fixos

Oferecem uma conexão muito precisa entre os eixos, o que é excelente para aplicações que exigem um alto grau de alinhamento e transferência eficiente de torque. Por outro lado, eles não absorvem desalinhamentos ou vibrações, o que pode causar desgaste prematuro nos componentes conectados se não forem instalados com precisão

Acoplamentos de lâminas

Podem acomodar desalinhamentos angulares e axiais, além de serem capazes de transmitir torques altos com certa flexibilidade. Isso faz com que os acomplamentos de lâminas sejam adequados para aplicações pesadas. Mas cabe dizer que a complexidade da sua construção pode torná-los mais caros e mais difíceis de instalar e manter.

Acoplamentos de engrenagens

Os acoplamentos de engrenagens são extremamente robustos e duráveis, capazes de transmitir altos torques mesmo com desalinhamentos radiais e angulares. Eles oferecem uma operação confiável em condições difíceis, mas requerem manutenção regular e podem ser mais caros devido à sua construção complexa.

Acoplamentos hidráulicos

Perfeitos para sistemas que necessitam de um controle suave de aceleração e desaceleração, como transportadores de materiais e máquinas de processamento de alimentos. Portanto, maquinários dos setores de tratamento de água e alimentícios se dão muito bem com esse tipo de acoplamento.

Acoplamentos magnéticos

Por causa da falta de contato, esse tipo é muito indicado para ambientes em que existem transferências de abrasivos, como indústrias químicas, de petróleo e outras que usam materiais corrosivos em seus processos. Contudo, embora seja eficaz em eliminar problemas de desgaste mecânico, pode ser mais caro e menos eficiente em transmitir torque se comparado a outros tipos de acoplamentos.

Como escolher o tipo de acoplamento certo?

Escolher entre os tipos de acoplamento não é uma tarefa fácil, ainda mais com a constante necessidade de ter durabilidade e o torque necessários para cada operação. Dito isso, separamos algumas dicas que podem ajudar na escolha. Porém, não deixe de considerar especificamente o seu contexto para tomar a melhor decisão.

  1. Considere a potência e o torque

É óbvio, mas antes de selecionar um acoplamento, você deve entender a potência e o torque que serão transmitidos. Isso porque, como você viu, modelos diferentes têm capacidades distintas. Então você deve se certificar de que o modelo pode lidar com a carga operacional da sua aplicação.

Se subestimar-se o torque, o acoplamento pode falhar prematuramente. Isso vai gerar prejuízos com manutenções ou trocas, além de comprometer a capacidade produtiva de toda a empresa, principalmente em indústrias menores.

  1. Verifique a velocidade de rotação (RPM)

A velocidade de operação dos eixos (rotações por minuto, RPM) é outro fator crítico. Alguns acoplamentos são projetados para operar eficientemente em altas velocidades, enquanto outros são melhores em baixas velocidades. Escolher um tipo adequado à velocidade de operação garantirá uma transmissão de potência suave e eficiente, que é o cenário ideal para uma produção mais eficaz.

  1. Analise o tipo e o grau de desalinhamento

Quando explicamos sobre as funcionalidades dos acoplamentos, dissemos que existem tipos que são ótimos para corrigir desalinhamentos angulares. Entretanto, isso não significa que você não deva considerar essa característica nativa de alguns modelos.

Você deve escolher um acoplamento que acomode o tipo e o grau de desalinhamento presente na sua aplicação. Acoplamentos flexíveis são ideais para absorver desalinhamentos, enquanto acoplamentos rígidos exigem um alinhamento perfeito.

  1. Avalie a característica do maquinário

Considere as especificações da máquina e o ambiente em que ela opera. Fatores como temperatura, presença de substâncias corrosivas, umidade e vibrações podem influenciar a escolha do acoplamento. Os magnéticos são bons para evitar contato com substâncias prejudiciais à estrutura da máquina, por exemplo.

  1. Determine a necessidade de manutenção

Alguns acoplamentos requerem manutenção regular, enquanto outros são projetados para operar por longos períodos sem necessidade de intervenção — o que gera menos custos. Se a sua aplicação está em um local de difícil acesso ou se você deseja minimizar o tempo de inatividade, escolha um modelo com menos necessidades de avaliações.

  1. Considere a facilidade de instalação

Se o seu maquinário está sempre passando por manutenções, é ideal que você escolha acoplamentos que sejam fáceis de remover e reinstalar. Isso economiza tempo e reduz os custos operacionais, incluindo o humano.

  1. Confira a compatibilidade com outros componentes

Certifique-se de que o acoplamento é compatível com os outros componentes do sistema, incluindo diâmetro dos eixos e tipos de chavetas. A incompatibilidade pode causar problemas de instalação e operação, além de aumentar o risco de falhas.

  1. Considere o custo total de propriedade

Além do custo inicial, considere o custo total de propriedade, incluindo manutenção, eficiência energética e vida útil. Um acoplamento mais caro inicialmente pode ser mais econômico a longo prazo se reduzir a necessidade de manutenção e aumentar a eficiência operacional.

  1. Opte pela melhor consultoria técnica e suporte possíveis

Não hesite em consultar especialistas ou fornecedores para obter recomendações técnicas. Eles te ajudar com base em experiências anteriores, indicando qual modelo faz mais sentido para você e para o seu negócio.

Escolher o acoplamento correto aumenta significativamente a eficiência e a durabilidade do seu sistema, além de reduzir os custos operacionais e de manutenção. Considere todos os fatores que listamos acima para garantir uma seleção bem-sucedida e otimizar o desempenho das suas máquinas e processos industriais.

Qual é a importância da escolha certa?

Acoplamentos ideais para a sua operação ajudam na economia, no desempenho e na agilidade com a qual as máquinas são capazes de trabalhar. Pode-se observar facilmente essa capacidade de transmitir a potência correta para cada processo, além de reduzir vibrações e choques entre as peças.

Com desalinhamentos reduzidos, as chances de problemas em cascata se reduzem drasticamente, o que confere uma precisão maior a cada etapa. Tudo isso se reflete em uma manutenção mais barata, com um cronograma reduzido, permitindo que seus técnicos foquem em melhorias ou apenas nas manutenções preventivas.

Outro fator que merece destaque é a capacidade de proteger a aplicação contra sobrecargas desnecessárias. Na prática, você terá equipamentos com mais durabilidade, aumentando o retorno do investimento sobre o maquinário em geral.

Chegamos ao fim deste guia e esperamos que o material tenha ajudado você a entender quais são os principais tipos de acoplamentos, além dos benefícios em fazer escolhas acertadas e adequadas para o seu contexto. Lembre-se de que essa decisão influencia muito na rotina da operação, reduzindo custos, corrigindo falhas e aumentando a vida útil do seu investimento.

Não se esqueça também que uma equipe de especialistas é altamente indicada para orientá-lo sobre os tipos de acoplamentos que se enquadram no tipo de indústria com o qual que você trabalha. Eles poderão tirar dúvidas e assegurar que você escolha bem, evitando retrabalhos e prejuízos a médio e longo prazo.

Gostou deste conteúdo? Então você certamente vai gostar de saber mais sobre como trocar acoplamentos. Leia nosso post sobre o assunto!

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 5 / 5. Nº de avaliações: 1

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.