Diferenças entre torque e potencia

Torque e potência: você sabe quais são as diferenças entre eles?

Como você já deve saber, existem muitas características que contribuem para definir a capacidade de deslocamento de um veículo ou de funcionamento de uma máquina. No entanto, nem sempre sabemos como se dá o relacionamento entre elas. Pensando nisso, resolvemos preparar um post mostrando quais são as diferenças entre torque e potência.

Em linhas gerais, enquanto a primeira nada mais é do que a força exercida para movimentar um objeto, a segunda pode ser compreendida como a medida usada para especificar o tempo em que um trabalho é executado. Ficou curioso e quer aprender mais sobre o tema? Então, continue sua leitura.

Afinal, qual o conceito de torque?

Ao longo de nossas vidas, ouvimos falar bastante sobre o torque. Afinal, trata-se de uma grandeza física que está relacionada com a rotação de um corpo após a aplicação de determinada força, que movimenta o objeto. Em um exemplo mais prático, o torque é o responsável por fazer com que um motor vença a força da inércia e entre em movimento.

Além de ter aplicabilidade em veículos, como carros, caminhões e mesmo tratores, também é um conceito importante em diversos equipamentos da indústria. Ainda não entendeu? Simplificando a compreensão, podemos pensar numa chave de boca que gira um parafuso: a força que você aplica sobre a ferramenta é justamente o torque.

E o que significa a potência?

Agora que você já compreendeu melhor o que é torque, podemos falar um pouco mais sobre o conceito de potência. A sua grande diferença é que o seu foco não está propriamente na força aplicada sobre um ponto, mas sim no cálculo da quantidade de energia consumida para movimentar algo, dentro de uma unidade de tempo determinada.

Em outras palavras, quando queremos verificar a medida da taxa na qual um trabalho é realizado. Trazendo para um exemplo prático, podemos usar um motor de 400W. Isso quer dizer que tal equipamento, quando em operação, é capaz de transmitir 400 joules por segundo de energia mecânica para o veículo.

Como podemos medir o torque?

Acima, demos um exemplo prático do torque. Entretanto, para medi-lo, existe uma fórmula específica, na qual devemos multiplicar uma força, que chamamos de F, pela distância do seu ponto de aplicação, representada pela letra L. Com isso, chegamos a uma fórmula simples, que pode ser expressa como: Torque (T) = F vezes L.

Quando a padronização utilizada é o Sistema Internacional (SI), sua unidade de medida é em Newton-metro (Nm). Embora isso possa ser muito comum em campos teóricos, dificilmente aplicamos no dia a dia, uma vez que a tecnologia disponibilizou uma série de equipamentos e ferramentas que podem fazer esse serviço automaticamente.

E como podemos medir a potência?

Já o cálculo da potência é um pouco mais complexo e já podemos ver isso por meio das unidades de medida. No Sistema Internacional (SI), por exemplo, é utilizado o Joule por segundo, popularmente conhecido por W (watt). Porém, também é bastante comum usar, sobretudo no universo automotivo, o CV (cavalo-vapor) ou HP (horse-power).

O seu resultado é obtido a partir do produto do torque pela rotação de um motor em um determinado ponto de utilização. No dia a dia, os dados são observados por meio de um equipamento, chamado dinamômetro. Com isso, fica mais fácil compreender por que torque e potência, apesar de distintos, andam sempre juntos.

Qual a relação entre o torque e a potência?

Como torque e potência andam sempre juntos, é interessante compreender melhor sua relação, não é mesmo? Tanto em carros simples em veículos de maior porte ou mesmo aparelhos pesados, a busca pela adequação das duas forças é essencial, visto que são fundamentais para um bom funcionamento e até para questões de segurança.

Ônibus, caminhões e tratores, por exemplo, não demandam tanta potência quanto um automóvel esportivo, que requer performance e reação. Por outro lado, precisam de uma quantidade muito maior de torque a baixas rotações para que consigam sair de seus lugares. Motos, por sua vez, leves e dinâmicas, são justamente o oposto.

Para esclarecer ainda melhor, podemos pensar em uma situação na qual temos dois automóveis no mesmo modelo, onde um tem apenas o condutor e o outro está repleto de passageiros. O primeiro tende a requerer menos potência para atingir certa velocidade, enquanto o segundo precisa de bem mais para chegar ao mesmo resultado.

Por que torque e potência devem ficar em equilíbrio?

Algo bastante curioso e que ocorre frequentemente entre pessoas que estão querendo comprar um carro é confundir os conceitos de torque e potência. Um dos erros mais comuns é achar que o simples fato de um veículo ser mais potente fará com que o seu desempenho seja muito melhor, mas o fato é que existem diversos outros fatores que precisam fazer parte da equação.

Da mesma forma, outros condutores julgam que o torque é a grandeza física que interessa e focam nisso quando estão pesquisando as opções do mercado. No entanto, com o que aprendemos até aqui, fica simples perceber que o fato é que ambos devem existir em bom equilíbrio e serem complementares, não é mesmo?

Um motor com muita potência e pouco torque, por exemplo, precisará trabalhar em altas rotações para se movimentar, elevando os custos com combustível e trazendo outros problemas graves, como maior demanda de manutenção, desgastes de componentes, como a embreagem, além de resultar em uma dirigibilidade bastante questionável.

Pronto! Se chegou até aqui, você já sabe quais são as diferenças entre torque e potência. Além disso, como pudemos ver, o ideal é, sempre que possível, conciliar ao máximo as duas forças, de maneira a entregar um bom desempenho, minimizar as chances da ocorrência de algum defeito e entregar um melhor experiência para quem está atrás do volante.

Gostou de aprender mais sobre os conceitos de torque e potência? Depois de conferir o conteúdo, você aprendeu quais são as diferenças entre eles? Quer conferir mais conteúdos sobre temas relacionados, aumentando os seus conhecimentos e tirando suas dúvidas? Então, não deixe de assinar, inteiramente grátis, a nossa newsletter!

Avalie e classifique este artigo.

Nota média: 0 / 5. Nº de avaliações: 0

Compartilhe este artigo!

Quer receber conteúdos como esses gratuitamente?

Preencha o formulário e cadastre-se para receber os nossos conteúdos exclusivos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.